terça-feira, 15 de janeiro de 2013

7 (Des)padronizando

Cansei de belezas exatas
Quero agora beleza de alma

Chega de olhar sem ver
Desejo aprender a enxergar de olhos fechados

Não preciso de cinco sentidos
Só o sentimento é o que me dá um sentido

Hora de jogar o relógio fora
Gosto mesmo é de conquistar devagarzinho

Sem pressa, sem presa
Apenas algo pra vida inteira

Angelus Paulino 



Stop às aparências
O que vem de dentro sempre me atraiu mais

Meus olhos captam o mundo aqui fora
Mas é a minh’alma que sabe enxergar melhor

E pra quem tem um coração
Detalhes os olhos se tornam

E em cada instante
Uma beleza nova

Stop
Viver é aprender flutuar devagar

Wanderly Frota