quinta-feira, 12 de julho de 2012

10 Nós*

Trazidas pelas asas do vento
Páginas Distraídas tomaram meus olhos
Encantado, aventurei-me a desvendar sua dona

A doçura por trás delas vem de longe
Nascida numa Dourada Serra
Numa terra dita de todos os santos

Porém criou suas próprias asas
Voou longe
Brincadeira de gente grande

Agora aprende não só a criar poesia com palavras
Cria-as numa planta
Geometria divina

A espontaneidade criou a afeição
As palavras, a Sintonia
Os versos, a poesia

Contudo a epopeia não está findada
Um novo voo em breve nos unirá
Para vencer o antigo lar de Barreiras...

Angelus Paulino



Veio todo enfeitado
De Versos
Prosas e Colóquios

Trazendo consigo um Rio
De bondades, virtudes e amores
E então ficou

Ficou e fez morada
Numa casa-vida
Pra nunca mais sair

E volta e meia o encontro
Numa Sintonia mais-que-fina
Como se fosse milimetricamente calculada (e era)

Juntou o que faz melhor
Unir a poesia e todo o palavrear
Num cálculo mais-que-perfeito

Ele veio assim
Pra somar virtudes
E multiplicar vontades

Wanderly Frota