terça-feira, 15 de janeiro de 2013

7 (Des)padronizando

Cansei de belezas exatas
Quero agora beleza de alma

Chega de olhar sem ver
Desejo aprender a enxergar de olhos fechados

Não preciso de cinco sentidos
Só o sentimento é o que me dá um sentido

Hora de jogar o relógio fora
Gosto mesmo é de conquistar devagarzinho

Sem pressa, sem presa
Apenas algo pra vida inteira

Angelus Paulino 



Stop às aparências
O que vem de dentro sempre me atraiu mais

Meus olhos captam o mundo aqui fora
Mas é a minh’alma que sabe enxergar melhor

E pra quem tem um coração
Detalhes os olhos se tornam

E em cada instante
Uma beleza nova

Stop
Viver é aprender flutuar devagar

Wanderly Frota

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

4 Daquilo que me basta



Quem és?
Uma face de mil talentos 
Arquiteta de belezas
De sutilezas a extravagâncias

Por que gosto-te?
Faz-me bem como ninguém
Páginas que me deixaste folhear 
Carinhos que permitiste dar e receber

Por que zelo-te?
É um instinto que desperta
Protetor, carinhoso 
De amigo, de cúmplice, de amante

Das linhas retas fizeste curvas
Da distância, mera escala 
Cruzaste nossos caminhos 
Por tudo isso já me basta

Sei quem tu és.

Angelus Paulino.

Acho que sou.
Sou toda sentir.
Um que me leva a perceber você
De dentro pra fora.

Não me pergunte como;
O porquê também desconheço.
Se estás perto, basta-me.
Se estás comigo, encontro-me.

Então vem
Segura as minhas mãos
Percebe?
Então fica.

Há muito o que dizer.
Há tanto de nós para aprender.
Há tanto da trilha pra seguir...
Então fica.

Já somos.

Wanderly Frota. 



quinta-feira, 12 de julho de 2012

10 Nós*

Trazidas pelas asas do vento
Páginas Distraídas tomaram meus olhos
Encantado, aventurei-me a desvendar sua dona

A doçura por trás delas vem de longe
Nascida numa Dourada Serra
Numa terra dita de todos os santos

Porém criou suas próprias asas
Voou longe
Brincadeira de gente grande

Agora aprende não só a criar poesia com palavras
Cria-as numa planta
Geometria divina

A espontaneidade criou a afeição
As palavras, a Sintonia
Os versos, a poesia

Contudo a epopeia não está findada
Um novo voo em breve nos unirá
Para vencer o antigo lar de Barreiras...

Angelus Paulino



Veio todo enfeitado
De Versos
Prosas e Colóquios

Trazendo consigo um Rio
De bondades, virtudes e amores
E então ficou

Ficou e fez morada
Numa casa-vida
Pra nunca mais sair

E volta e meia o encontro
Numa Sintonia mais-que-fina
Como se fosse milimetricamente calculada (e era)

Juntou o que faz melhor
Unir a poesia e todo o palavrear
Num cálculo mais-que-perfeito

Ele veio assim
Pra somar virtudes
E multiplicar vontades

Wanderly Frota

terça-feira, 19 de junho de 2012

9 {...}

Pedacinho da alma
Enleva o nosso ser
Nossa casa mais íntima
Saudades que se somam
Amor formado da união de lembranças
Meninices esquecidas de volta a tona
Encanto nas diminutas coisas
No embalo das asas
Transporte para um mundo novo
Ondas onde navega o coração

Angelus Paulino.



Pequeno cantinho de descanso
Emoldurando repouso para o coração
Num laço de lar verdadeiro.
Saudade hoje.
Amor de ontem.
Momentos de ternura que gritam alma a dentro
E voltam
Nesse vai-e-vem de emoções
Transborda o afeto eterno
Onde distancia nenhuma é capaz de apagar

Wanderly Frota.

terça-feira, 12 de junho de 2012

5 (B)elo

Felicidade em uma palavra:
Você
Ciranda de sensações
Dádiva intensa que transborda

Hora de arrumar as malas
Levar o corpo onde a alma já se encontra

De carências a caricias
De presentes a presença

O ciclo está fechado
Laço apertado
A dona disso tudo:
Você

Angelus Paulino.


Elos que não desatam:
Nós.
Corrente de amores,
Doçuras e sabores.

Vem, é hora de atrasar os ponteiros
E desfazer as saudades de dentro.

De lonjuras a abraço.
De dizeres a espaço.

Laço que pacifica.
Passe e fique
Em nós.

Wanderly Frota.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

9 Meninice

Desejo ser adulto 
Sabedoria na cumplicidade
Seriedade de sentimento
Comprimisso de corpo e alma

Desejo ser criança
Cosquinha no pé para provocar-te
Ver-te emburrada para depois sorrir
Alma que não se esqueceu de como brincar

Não quero saber das cores preto e branco
Prefiro o colorido do sorriso pueril
Aliado com o sabor da fruta madura.

Angelus Paulino.



Desejo ser gente grande
Esticar o bem que trago por dentro
Afagar o amor que há em mim
Em elos de paixão e vontade

Desejo a pequenice
Pra correr ao seu lado
E brincar de pique-esconde
Numa graça veronil

Chega pra cá... quero ser tua
Menina pequena ou moça bem grande
Numa dose de cor, alegre e vibrante.

Wanderly Frota.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

7 Nós

Alma inundada de ternura,
Beleza exalada; brilho interno.
Verdade que inspira, liberta, sossega o coração.
Morre-se para o ontem.
Vive-se de amores, versos e poesias.
Assim como eu...
E você."
Wanderly Frota.
 
Coração transbordante de afeto
Rosto angelical; alma divina
Pureza de sentimento, transparente, luminosa
Vida impulsionada pelo nosso amanhã
Hoje versos poéticos, amanhã palavras consumadas
Para mim...
E você."
Angelus Paulino.